Buscar
  • Empilhatec

Boas práticas para uso de empilhadeira

Para ser um bom profissional nas áreas de gestão e logística, é fundamental se manter atualizado às novas tecnologias e tendências do mercado. As empilhadeiras são equipamentos que podem transformar as operações da sua empresa, oferecendo mais organização e mobilidade para o armazém.


Ao implantar essa ferramenta no dia a dia de uma empresa, o gestor precisa se preocupar com a segurança do local de trabalho e com a conservação do equipamento e seus componentes. Para ajudar você a manter o espaço de movimentação das empilhadeiras seguro e organizado, vamos falar sobre os hábitos que você deve aplicar na rotina de atividades.


Boas práticas para operar empilhadeira

Veja a seguir algumas boas práticas que você deve seguir para manter a segurança do local de trabalho e conservar a sua empilhadeira por mais tempo.


1. Capacitar e alinhar a equipe de trabalho

O primeiro passo para implantar a empilhadeira no dia a dia da sua empresa é capacitar a equipe. Tanto os operadores do equipamento quanto os funcionários que trabalharão no local precisam ser qualificados. Saiba mais sobre o conhecimento técnico necessário para operar o equipamento.


O alinhamento da equipe também é essencial para que o fluxo de atividades siga harmonicamente. A movimentação no entorno da empilhadeira precisa ser cautelosa e é necessário bastante organização para que o trabalho da empilhadeira não interfira nos demais processos.


2. Respeitar os limites da empilhadeira

Uma das regras mais importantes para o uso de empilhadeiras é respeitar os limites de carga do equipamento. A recomendação de segurança geral é operar com carga de até 70% da capacidade da empilhadeira. Isso significa que, se a sua empilhadeira tem capacidade máxima de 5 toneladas, a carga máxima de que você pode manusear é de 3,5 toneladas. Movimentar mais do que isso, ainda que dentro da capacidade da empilhadeira, pode causar sérios acidentes.


Quando falamos de limites, não podemos considerar apenas a capacidade de carga. As peças e componentes da empilhadeira possuem um limite de horas de trabalho que deve ser respeitado. Trabalhar com peças desgastadas aumenta o risco de acidentes de trabalho e ainda causa despesas desnecessárias com manutenção corretiva.


3. Oferecer EPI para os funcionários

Os funcionários responsáveis por operar a empilhadeira devem receber da empresa os equipamentos individuais necessários para a sua proteção. Óculos de segurança, protetor auditivo, capacete e luvas são essenciais.


Vale lembrar que calçados fechados também se enquadram como equipamento de proteção individual. As botas são um bom exemplo, já que protegem os pés das quedas de carga e derramamento de líquidos e ainda permitem a locomoção adequada sem escorregões.


4. Seguir as instruções do fabricante

Ninguém sabe tanto sobre uma empilhadeira quanto a empresa que a fabricou. Por isso, é muito importante seguir as instruções do fabricante nos cuidados com a máquina. A limpeza, a manutenção, o manuseio, o armazenamento e o abastecimento devem ser feitos de acordo com as recomendações de fábrica.


Dessa forma, você prolonga a vida útil da empilhadeira e tem um aproveitamento máximo de todas as suas vantagens. Guardar o manual de instruções é fundamental para poder realizar eventuais consultas.


5. Manter o equipamento em bom estado

Já falamos sobre respeitar o limite de horas trabalhadas das peças da empilhadeira. Porém, toda a manutenção preventiva é essencial para garantir o bom funcionamento e conservar a ferramenta por mais tempo. Manter o equipamento em bom estado também faz parte da prevenção de acidentes.


Vale lembrar que a manutenção preventiva é mais barata que a corretiva e pode evitar paralisação do fluxo de trabalho por causa de defeitos na empilhadeira. Dessa forma, você economiza tempo e dinheiro.

Saiba mais sobre a importância da troca periódica de peças.


NR-11 e NR-12

Quando se trata de segurança do trabalho com equipamentos de grande porte, duas normas regulamentadoras se destacam. As diretrizes dessas normas promovem a proteção dos colaboradores e evitam acidentes de trabalho.


A NR-11 regulamenta a “operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras”. Já a NR-12 tem o objetivo de “resguardar a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho”. Você pode conferir as duas normas na página da Secretaria de Inspeção do Trabalho no portal do Ministério da Economia.


É muito importante lembrar que garantir a proteção dos funcionários no local de trabalho é obrigação da empresa contratante. Seguir as medidas de segurança evita que a empresa tenha que lidar com situações legais comprometedoras resultantes de acidentes de trabalho. Além disso, essas medidas ajudam a manter a agilidade da operação e previnem perdas de produtos e matérias primas.


Se você quer melhorar os processos da sua empresa, conheça também os 8 diferentes tipos de estoque.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo