Buscar
  • Empilhatec

Diferença entre as curvas 123, ABC, PQR e XYZ

Um dos maiores desafios da gestão de logística e estoque é ordenar os insumos da forma que mais faz sentido para a empresa. Um gerenciamento eficiente oferece informações rápidas e seguras e permite que os gestores tomem decisões estratégicas.


As curvas de análise 123, ABC, PQR e XYZ são métodos de segmentação de estoque que ajudam a organizar os itens de acordo com a necessidade da empresa. Neste post, vamos te explicar a diferença entre cada curva e ajudar você a identificar qual a melhor forma de segmentação para o seu negócio.


Curvas 123, ABC, PQR e XYZ

Veja a seguir quais são as diferenças entre os quatro principais tipos de curva de segmentação de estoque.


Curva 123

A curva 123 requer um bom gerenciamento de fornecedores porque considera a dificuldade com que alguns produtos são adquiridos. É um método bastante eficiente para momentos de crise, em que o suprimento de insumos é prejudicado. São determinadas três categorias de inventário:

1 – Produtos de aquisição complexa, que possuem um processo de compra complicado.

2 – Produtos de difícil aquisição, que possuem um processo de compra um pouco menos complicado, mas ainda assim intrincado.

3 – Produtos de aquisição pontual, que são amplamente encontrados no mercado.


Curva ABC

A curva ABC é a mais conhecida entre os métodos de segmentação de estoque. A análise classifica o inventário de acordo com o grau de importância. A curva é criada considerando um determinado período no qual confere-se o consumo dos itens ou o valor monetário total. Assim, são criadas três categorias:

A – Produtos com maior consumo e que requerem mais atenção e controle.

B – Produtos de consumo intermediário e que não requerem tanta atenção.

C – Produtos de consumo reduzido e que requerem pouca atenção.


Curva PQR

A curva PQR considera a popularidade dos produtos administrados. A análise classifica o inventário de acordo com as movimentações realizadas em um certo período. É uma boa forma de classificar se combinada com outra curva, já que a segmentação PQR não considera as quantidades armazenadas. Os grupos formados são:

P – Produtos muito populares, com alta movimentação.

Q – Produtos populares, com movimentação intermediária.

R – Produtos pouco populares, com baixa movimentação.

Saiba como a falta de logística pode prejudicar o trabalho nas indústrias.


Curva XYZ

Por fim, a curva XYZ utiliza a criticidade para segmentar os itens armazenados. Isso significa que é considerado o impacto que a falta de um produto causa nos processos internos da empresa. Dessa forma, a classificação forma as seguintes categorias:

X – Produtos de baixa criticidade, cuja falta afeta pouco os processos da empresa.

Y – Produtos críticos, cuja falta causa um transtorno razoável na operação.

Z – Produtos vitais, cuja falta interrompe o fluxo de trabalho na empresa.

Conheça 8 diferentes tipos de estoque.


Como segmentar o seu estoque

A classificação do estoque deve seguir as necessidades do fluxo de trabalho de cada empresa. Portanto, as melhores dicas para escolher o método de segmentação são: estude as curvas e conheça as demandas do seu estoque. Dessa forma, você tem todas as informações necessárias para analisar a melhor forma de classificar o inventário.


É possível combinar duas ou mais análises para obter uma gestão mais precisa e sofisticada. Assim, o plano de aquisição pode considerar diversas variáveis da movimentação. Contudo, vale destacar que aplicar classificações em excesso pode prejudicar a sua organização. É necessário sempre avaliar o grau de complexidade da sua operação para poder definir quais informações são prioridade na gestão de estoque.


Ao longo da jornada de crescimento da empresa, é normal que as demandas se transformem. Por isso, é importante manter a atenção com a organização do estoque e se manter atualizado em relação às novas tendências para realizar as mudanças necessárias na gestão. Adequar as técnicas e os fluxos de trabalho às novas necessidades faz parte de uma boa administração.


4 dicas para fazer um bom controle de estoque

Selecionamos quatro dicas importantes para fazer um controle de estoque eficiente na sua empresa.


1. Tenha processos bem definidos

Ter processos bem definidos é o primeiro passo para garantir a eficiência da sua gestão. Descrever as etapas e a ordem das atividades permite identificar falhas e aplicar melhorias no fluxo de trabalho.


2. Acompanhe a movimentação

Acompanhar a movimentação de itens também é fundamental para garantir a organização do inventário e evitar interrupções no trabalho por falta de insumos. Registrar a entrada e a saída de produtos deve ser prioridade nas atividades do gestor.


3. Realize projeções de demanda

Realizar projeções de demanda vai ajudar você a se preparar para os momentos de crise. Por isso, estudar o mercado e manter um bom relacionamento com os fornecedores é muito importante para prever a oferta e a procura dos materiais.


4. Invista em ferramentas de trabalho

Por fim, é muito importante investir em ferramentas que facilitem a organização e otimizem o trabalho da equipe. As empilhadeiras, por exemplo, são máquinas que oferecem mais segurança e agilidade para a movimentação de produtos estocados.


Se você gostou desse conteúdo e quer melhorar a sua gestão, confira também qual o melhor momento para investir em empilhadeiras.


35 visualizações0 comentário